O que é o Cerco de Jericó?

Moisés conduziu o povo de Deus em fuga do Egito rumo à terra prometida. Mas antes que o povo chegasse a essa terra, Moisés faleceu e não conseguiu entrar na terra prometida, então Deus escolheu Josué filho de Num, ele que era popularmente o “braço direito” de Moisés, para dar continuidade a esta missão e conduzir o povo (conf. Josué cap.1).

Deus concedeu a terra ao seu povo e a culpa das terras estarem fechadas e habitadas por outros povos não é de Deus. Os israelitas tinham que avançar corajosamente para tomar posse daquilo que Deus lhes havia concedido. E após a travessia do rio Jordão os israelitas se depararam com a cidade de Jericó – que pertencia a eles – totalmente fechada.

Josué, seguindo as ordens de Deus que consistia em todo um ritual para entrar em Jericó e este ritual consistia em dar a volta na cidade durante sete dias diante da arca do Senhor, seguindo todo o rito prescrito, todos os dias. Assim se fez, após cumprirem todo rito prescrito, no sétimo dia, as muralhas caíram e os israelitas finalmente tomaram posse de Jericó (conf. Jos 6,20).

Na atual conjuntura, essas muralhas de Jericó podem significar as lutas diárias que todos nós cristãos batizados temos para viver os preceitos de Deus.

Sabemos que temos “forças espirituais contrárias” (conf. Efe 6, 11) a vontade de Deus que querem agir em nós, nos enganar e tirar de nós aquilo que temos de mais preciso: a vida eterna junto de Deus. A arca do Senhor hoje é o Santíssimo Sacramento que fica exposto em adoração sete dias e sete noites durante o Cerco de Jericó. Josué hoje é a Igreja, são os sacerdotes, responsáveis diretos pela formação e condução do povo, guardiões da liturgia da Igreja para celebração dos sacramentos.

O Cerco de Jericó consiste em uma intensa semana de oração pessoal e comunitária, com missa diária, a oração do Santo Rosário diante do Santíssimo Sacramento, leitura da Palavra de Deus e dedicarmos pelo menos uma hora em adoração durante qualquer hora do dia a Jesus Eucarístico.

Por Tamires Pereira