Formação

“Informações relevantes para o crescimento na fé”

Solenidade da Imaculada Conceição de Maria

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email

“Foi por meio de uma mulher (Eva) que a serpente infernal conseguiu fazer penetrar seu veneno mortal na humanidade, também seria por meio de outra mulher (Maria, a nova Eva) que Deus traria o remédio da salvação. Sendo assim, Deus preparou uma nova mulher pura, livre do pecado original, e digna de trazer em seu seio virginal o autor da salvação. para que este fosse também isento da culpa original, e pudesse libertar Seus irmãos.”

Como nos ensinado pelo Catecismo da Igreja Católica: “O gênero humano inteiro é em Adão como um só corpo de um só homem. Em virtude desta “unidade do gênero humano” todos os homens estão implicados no pecado de Adão” (n. 404). Desta forma, o pecado original, por ser dos primeiros pais, passa por herança, a todos os filhos, e os faz escravos do pecado, do demônio e da morte.

Sendo assim, para que Maria fosse santa e imaculada Jesus quebrou a tábua da lei do pecado original e jurou que, no lenho da Cruz, com Seu Sangue e Sua Morte conquistaria a Imaculada Conceição de Sua Virgem Mãe. Neste contexto, o Senhor antecipou para Maria, a escolhida entre todas, a graça da Redenção que seu Filho conquistaria com Sua Paixão e Morte. A Imaculada Conceição de Nossa Senhora foi o primeiro fruto que Jesus conquistou com Sua morte. E Maria foi concebida no seio de sua mãe, Santa Ana, sem o pecado original, uma vez que “A santidade do Filho é causa da santificação antecipada da Mãe, como o sol ilumina o céu antes de ele mesmo aparecer no horizonte” (Cardeal Suenens).

Em virtude disso, em 8 de dezembro de 1854 o Papa Pio IX declarou dogma de fé, a doutrina que ensinava ter sido a Mãe de Deus concebida sem mancha por um especial privilégio divino. Assim, a Igreja oficialmente reconheceu e declarou solenemente como dogma: “Maria isenta do pecado original.” Na Bula “Ineffabilis Deus”, o Papa diz: “Nós declaramos, decretamos e definimos que a doutrina segundo a qual, por uma graça e um especial privilégio de Deus Todo Poderoso e em virtude dos méritos de Jesus Cristo, salvador do gênero humano, a bem-aventurada Virgem Maria foi preservada de toda a mancha do pecado original no primeiro instante de sua conceição, foi revelada por Deus e deve, por conseguinte, ser crida firmemente e constantemente por todos os fiéis” (Tm, p. 305).

Ressalta-se ainda que 1476 a festa da Imaculada foi incluída no Calendário Romano. Em 1570, o papa Pio V publicou o novo Ofício e, em 1708, o papa Clemente XI estendeu a festa a toda a Cristandade tornando-a obrigatória. E que própria Virgem Maria, na sua aparição em Lourdes, em 1858, confirmou a definição dogmática e a fé do povo dizendo para Santa Bernadette e para todos nós: “Eu Sou a Imaculada Conceição”.

Oração a Imaculada Conceição:

Virgem Santíssima, que fostes concebida sem o pecado original e por isto merecestes o título de Nossa Senhora da Imaculada Conceição. E por terdes evitado todos os outros pecados, o Anjo Gabriel vos saudou com as belas palavras: Ave Maria, cheia de graça.

Nós vos pedimos que nos alcanceis do vosso divino Filho o auxílio necessário para vencermos as tentações e evitarmos os pecados e, já que vós chamamos de Mãe, atendei-nos com carinho maternal e ajudai-nos a viver como dignos filhos vossos. Nossa Senhora da Imaculada Conceição, rogai por nós. Amém.

Aviso Importante:

Em virtude da Solenidade da Imaculada Conceição nesta sexta-feira, dia 08 de dezembro, haverá missa na Matriz às 06h30min e na Capela Nossa Senhora da Conceição, em Vila Gabriela às 19h00.

RELACIONADOS